AB6 - Reencontrar o passado

Um dia, uma citação

AB6 - Encontros e reencontros

quinta-feira, 1 de fevereiro de 2007

O apito dourado, de ferro forjado


Em 20/04/2005 este manifesto foi tornado público pelo seu autor.

O apito dourado, de ferro forjado

O frenesim para apanhar os tubarões (FC Porto e Pinto da Costa) continua (apesar de anos e anos de insinuações, especulações e suspeições, por parte da comunicação social desportiva, que eu considero sectária e moralmente corrupta, se ter traduzido num tremendo fiasco, pois o que tem vindo à rede é chicharro, que navega em águas da 2ª B e outras divisões inferiores e que se alimenta, exclame-se, de queijos e vinho) muito embora, preto no branco, não exista nenhuma causa efeito, não exista gente comprada nem vendida e não se discuta valores. Para dar crédito ao Apito Dourado e justificar a operação, recorre-se a ex-árbitros, que arbitrariamente são denominados de mais sérios e mais competentes que todos os outros, para serem eles, a julgarem e decidirem que erros dos árbitros não são erros, mas sim actos de corrupção. Que imagens visionaram eles? As que a judiciária entendeu? Ou viram todos, mas todos os jogos dos últimos 5 anos, pelo menos, em versão integral, de forma a poderem chamar a atenção à Judiciária que, afinal, determinados lances de outros jogos e outras equipas, fora do processo, também não são erros mas sim actos de corrupção? E esses árbitros são especialistas de quê? De arbitragem, só? São peritos em imagem? Sabem entender, cientificamente, a diferença, numa imagem não tridimensional, entre a ilusão de óptica e a realidade? Poderão justificar, cientificamente, quando uma câmara lenta distorce a realidade? Ah! Se as 2ª B e outras divisões inferiores não têm transmissões televisivas, para que foram chamados os especialistas? Claro que Martins dos Santos e Paulo Paraty são de árbitros de 1ª, e, obviamente, estão inseridos na tal campanha de insinuações, especulações e suspeições
É por existir esta corrupção moral, há muitos e muitos anos tremendamente activa e direccionada, na comunicação social desportiva (não só) portuguesa, que uns vão falando, de alto, como falsos anjinhos, na justiça e moralização do futebol, enquanto outros são alvos de escutas telefónicas (com que argumentos se iniciaram essas escutas se outros clubes dela não foram objecto) e constituídos arguidos, por ridicularias que ninguém consegue explicar.
Nós, portistas, não duvidamos dos 6 milhões de benfiquistas, nem dos 4 milhões de sportinguistas (????).
Mas também não somos burros.
Bem sabemos que essa enorme percentagem de anti-portistas e anti-Pinto da Costa, sectários e primários, está presente em toda a sociedade portuguesa. Ela tem que ser aplicada a todos. Na política, na justiça, na investigação, nos jornalistas, nos comentadores, nos editores e realizadores de imagem, etc., etc. e em todos os orgãos e actividades do País.
Os objectivos, do Apito Dourado, da "viagem do Calheiros ao Brasil" e dos delírios do Sr. Barata, estão assim perfeitamente justificados.
Quanto à "viagem do Calheiros ao Brasil", a Sic, o Jorge Schnitzer(?) e a menina “da Cosmos”, foram escutados e investigados e as suas casas revistadas? Não teria sido uma inventona preparada à distâcia? O anti-portismo primário e o ódio a Pinto da Costa eram mais que evidentes nos Donos da Bola e, para mim, penso que o sr. Schnitzer (?), para destroçar o FCP e PC, seria capaz de tudo. A menina “da Cosmos” e o Jorge Schnitzer (?) "desapareceram", pelo menos nunca, eu, mais ouvi falar deles. Essa história nunca me pareceu bem contada. É que no ano e altura da dita viagem, o FC Porto foi em digressão ao Brasil e seria fácil incluir Calheiros na comitiva. Ou neste país já se esqueceram, que Mário Luís de Leiria apitou uma finalíssima da Taça de Portugal, na qual o Sporting venceu o FC Porto por 2-1, tendo o Sr. Mário Luís prejudicado os portista. Recordam o que aconteceu? No dia seguinte o Sr. Mário Luís embarcou com o Sporting para uma digressão à China, com o fato oficial do Sporting. Alguém reclamou? Alguém achou mal? Os media lançaram a suspeição? O Dr. Dias da Cunha insurgiu-se contra o “sistema”? A Judiciária investigou? O Ministério Público accionou?
Lá foram, cantando e rindo.
Trata-se somente de uma perseguição sem cartel e sem pudor ao FC Porto e Pinto da Costa, que vai encontrando, na sua caminhada telefónica, coisas de lana-caprina e pessoas que não eram tidas nem achadas nessa perseguição, mas que importa especular e incriminar para fazer crescer a bola de neve que se pretende gigante.
Tudo começou quando Vera Jardim, um dos 4 milhões (?????) de sportinguistas frustados e irados pela senda vitoriosa do FC Porto (ultrapassou o Sporting em tudo e em 7 anos consecutivos, de Artur Jorge a António Oliveira, o FC Porto em Alvalade, para a Liga, empatou 1 e venceu 6, apesar de profundamente "ROUBADO" em todos esses jogos), em 1995, quando ascendeu a Ministro da Justiça, ter declarado a abertura de um mega processo no futebol. Eu percebi imediata e claramente o alcance pretendido. É opinião minha, que a partir daí, não mais o FC Porto, Pinto da Costa e Reinaldo Teles deixaram de ser escutados. É a minha leitura de todos os factos. E 9 anos de investigação (?), de escutas (?) e de constante e premeditada onda de suspeição (autentica lavagem ao cérebro dos anti-portistas), para além das grandes palhaçadas dos comentários e debates televisivos, que pariram? - “Tirar os três” a um árbitro num bordel, para beneficiar o FC Porto num jogo nas Antas, para o qual, à partida era favorito a mais de 90% e "pedir" para reduzir o castigo de 2 para 1 jogo de um jogador portista - . Foram estes os grandes crimes atribuídos ao Todo Poderoso "Papa", ao Maior "Mafioso" do Império Português de Aquém e Além Mar e Senhor Absoluto do Futebol Português e que lhe permitiram, segundo essa corja sectariamente anti-portista, no seu reinado de 22 anos, vencer 13 campeonatos, 8 Taças de Portugal, 13 Supertaças, 2 Ligas dos Campeões Europeus, 1 Taça Uefa, 2 Taças Intercontinentais e 1 Supertaça Europeia.
Penso que é altura de todos os sócios e adeptos portistas, por sua única iniciativa, instituírem a BURLA – Brigada Unida Revolucionária da Luta Anti-apito dourado e organizarem um enorme comício no Dragão, completamente cheio, e inundar, todos os dias, a sua cidade com panfletos e cartazes, para questionar o País e as autoridades, sobre o porquê desta perseguição e exigir saber:
- Face à arbitragem escandalosamente tendenciosa, contra o FCP, de Bruno Paixão, em Campo Maior, (o Sporting foi campeão) e face aos últimos 3 anos de arbitragens anormalmente prejudiciais, de Lucílio Batista em Alvalade(!!!), contra o FCP (para não falar desses tais 7 anos de "roubos" cristalinos, de um célebre e espectacular auto-golo de cabeça, em Guimarães, que "roubou" o tri de 1980 ao FC Porto, a favor do Sporting, marcado por Manaca, ex-jogador leonino, ao serviço do Vitória e dessa tal viagem à China), que investigação e escutas foram levadas a cabo pela Judiciária? Que casas foram revistadas? Que fez o Ministério Público?
- Se o regulamento da Liga Profissional, aprovado pelos clubes, logo após o protocolo com o Estado, preconizava a descida à Divisão de Honra dos clubes que não apresentassem o comprovativo de situação regularizada com o fisco e segurança social, como é que o Benfica, para além de não ter cumprido as suas obrigações fiscais, apresentou uma declaração, que apesar de ofícial, era forjada por alguém que se deixou corromper, e não desceu de divisão? Este, sem dúvida, o maior escândalo que alguma vez o futebol português enfrentou. Que investigações e escutas foram feitas? Foram ouvidos o Benfica, o Dr. Vale Azevedo, a Liga, o Ministério das Finanças, a Direcção-Geral de Contribuição e Impostos? Foram revistadas as casas de todos? Que fizeram a Judiciária e o Ministério Público? Não houve corrupção nem tráfico de influências? E o que fizeram os media portugueses e o Governo de então? Calaram-se e abafaram, como sempre, quando as situações prometem descongelar a bola de neve e inundar a 2ª circular. Quer dizer …, fez-se algo para pacóvio ver, “prenderam” o Dr. Vale Azevedo por “meter ao bolso” dinheiro do Benfica numa transferência do Ovchinnikov. Apresentar uma declaração falsa de uma entidade estatal, para vigarizar a Liga e os seus regulamentos, obtida por corrupção activa e passiva, independentemente de ser, ou não, corrupção material (como saber se não foi investigado?), não foi considerado crime nem merecedor de investigação? É que reconhecer o crime, seria enviar o Benfica para a Divisão de Honra. Isto não será, também, cumplicidade e tráfico de influências de todas as entidades, por omissão?
Como se pode ter a lata e a sem vergonha de se tentar incriminar o F.C. Porto e Pinto da Costa? Ninguém, mas mesmo ninguém, das entidades de investigação, da justiça, do governo de então e dos media, que têm um poder discricionário, não votado, que nem a ditadura de Salazar tinha, poderá merecer a nossa confiança ou ter moralidade para tentar sujar o nome do F.C. Porto.
- Se foi público e foi uma das mais faladas novelas do País, que o Dr. Vale Azevedo vendeu todo o património do Benfica, incluindo os terrenos que ao longos dos anos lhe foram atribuídos pela CM Lisboa para infra-estruturas desportivas e se foi público que o Benfica estava "falido", como aparece o novo estádio e todas as infra-estruturas circundantes? Em que terrenos e com que dinheiro? Que investigação e escutas foram feitas? Quem foi ouvido? Que fizeram a Judiciária, o Ministério Público e o Governo?
- Porquê a investigação sobre o Dr. Nuno Cardoso se ele nunca foi presidente da CM Lisboa nem nunca esteve metido nessa confusão dos terrenos dados, vendidos, voltados a dar, hipotecados, vendidos e não sei que mais o quê, que eu, e ninguém, jamais perceberemos?
- Porquê tráfico de influências, na tentativa, legítima, do FC Porto tentar reduzir o castigo de Deco de 2 para um jogo de castigo? A Judiciária e o Tribunal viram a falta de Deco? Investigaram porque o Deco apanhou 2 jogos, quando umas semanas antes, o malogrado Feher, com o jogo parado e bola fora do terreno de jogo, caminhou meia dúzia de metros para, sem mais nem menos, agredir com uma cabeçada um jogador adversário e foi castigado, apenas, com um só jogo? Afinal, quando, onde e quem patricou o tráfico de influências? Esta anormalidade foi investigada, houve escutas?
- Os sócios e adeptos do FC Porto têm o direito de conhecer, não só as escutas que determinaram existir tentativa de tráfico de influências na questão do Deco, mas também conhecer o conteúdo das conversas telefónicas do Dr. Ferro Rodrigues, do Dr. António Costa, do Sr. Presidente da República e outros, relativamente ao Dr. Paulo Pedroso e sua relação com o processo casa Pia, para que possam analizar e comparar, para que possam distinguir o que é e não é tráfico de influências e entender, de uma vez por todas, porque foi o Sr. Pinto da Costa interrogado por um Magistrado e constituído arguido por tráfico de influências.
Eu não sei se a juíza responsável pela instrução do processo "Apito Dourado", Dra. Ana Cláudia Nogueira, viu e reviu o tal jogo FC Porto – Estrela da Amadora. Eu aconselhar-lhe-ia que o fizesse e, sobretudo, visionasse completamente o tal jogo Campomaiorense-FC Porto que deu o título ao Sporting e os últimos três jogos em Alvalade, Sporting – FC Porto, apitados por Lucílio Batista, chamasse os três antigos árbitros, Adelino Antunes, Vítor Pereira e Jorge Coroado para, estes, lhe explicarem o que é, ou não é, uma arbitragem premeditadamente prejudicial a um dos contendores, e quais os jogos em que esse factor foi mais evidente. Estes jogos, nos quais o FC Porto foi grotescamente prejudicado, estranhamente, tiveram um factor comum: eram muito mais importantes para a luta pelo título entre FC Porto e Sporting que o Estrela da Amadora nas Antas, onde à partida o FC Porto dispunha de um favoritismo de 90 %, pelo menos.
Eu até acredito que o pagamento de um relacionamento de um árbitro com prostitutas possa gerar um clima de empatia, simpatia e alguma intimidade promíscua, que em situações de dúvida possa favorecer o clube envolvido. Mas jamais acreditarei que um árbitro se possa corromper por favores sexuais e premeditadamente adulterar um resultado de futebol. A corrupção tem que estar muito acima da eventualidade de lances duvidosos existirem ou não. A justiça não pode nem deve ser hipócrita e estúpida a ponto de ignorar que essa intimidade criada tem, precisamente, a mesma medida de um árbitro amigo, com simpatias ou antipatias clubistas, de árbitros de regiões distantes que diariamente convivem com familiares e amigos apaixonados ou fanáticos por determinados clubes. A medida é a mesma, o relacionamento das pessoas, a que ninguém pode fugir. Corrupção é situação completamente diferente. É a compra e ou venda de pessoas e da sua honestidade. Como por exemplo, obter, num departamento do estado, uma declaração falsa. Às entidades judiciárias deste país não compete empolar uma situação e prosseguir uma “caçada às bruxas” quando ostensivamente abafaram, branquearam e votaram ao silêncio o maior escândalo do futebol português: “comprar” e entregar uma declaração estatal falsa para poder competir na 1ª liga do futebol profissional e evitar a descida a escalões inferiores. Se têm dúvidas, vejam com olhos de ver os três últimos jogos apitados pelo Sr. Lucílio Batista, em Alvalade, em jogos Sporting – FC Porto, determinantes entre candidatos ao título e comparem com os favores do Sr. Jacinto Paixão. É muito simples. Tenham isto bem presente. Se alguém deveria estar no banco dos réus, esse alguém seria muita e importante gente deste País, incluindo entidades judiciárias, porque não querem vêr com os dois olhos. O ditado lá diz, em terra de cegos quem tem um olho é rei.
Nós portista sabemos que existem televisores a preto e branco e a cores. Estamos a aprender a conhecer as televisões monocolores, a vermelho e a verde.
E querem tirar o poder de decidir aos árbitros para o entregar aos realizadores, editores de imagem e comentadores das televisões monocolores.
Esses impolutos donos da verdade e da pureza só me fazem rir.
Hoje, sorridentes, as televisões monocolores até aventam a hipótese de sanções desportivas para o FC Porto, como se isso fosse possível depois do branqueamento e silenciamento premeditado das falsas e corruptas declarações que o Benfica entregou na Liga para, na presidência do Dr. Vale Azevedo, poder actuar na super liga.
Com 6 milhões de benfiquistas e 4 milhões de sportinguistas não existem mais portugueses. Então, onde estão os corruptos deste País? Não existem?
Que credibilidade poderá ter este processo, quando em plena luta directa, com o Benfica e Sporting, pelo título, os árbitros nomeados para apitar jogos do FC Porto eram, durante a semana dos jogos, e mais que uma vez isso sucedeu, instados a depor nas entidades de investigação, ou vice-versa.
Afinal, onde estão os corruptos, os traficantes de influências e os carregadores de pressão?
É claro que o tráfico de influências é inútil, o suborno não tem razão de ser, entre eles está sempre tudo bem. Eles são o País.
Só é triste, muito triste, não existir quem os possa investigar e quem os possa pronunciar.
Estás f***** FC Porto, neste país alegremente vermelho e verde, que jamais te perdoará o sucesso dos últimos 20 anos.
Nós, portistas, sabemos que somos ninguém.
Não sendo portugueses (não há lugar para nós), também não somos súbditos do Idi Amin Dada, SOMOS PORTISTAS.

Fafe
Sócio FC Porto nº 7.193

7 comentários:

Anónimo disse...

oh puto fafe! vai-te foder com o apito dourado. tens ke pensar é em gajas. a maria de nova freixo por exemplo. e a tua mulher não sabe da missa a metade. as orgias ke fazias com o nandinho, puskas, etc. o rogério está aki ao meu lado a dizer ke gostavas era do cu do espalha merda. beijinhos do xeka malabisa

O Fafe do AB6 disse...

Ah Xeka dum raio. Não precisavas identificar-te. Não aprendeste nada nestes 37 anos que passaram. Vê-se logo que tiraste a escola obrigatória na metecolia. Ouve a "música no AB6" que vais gostar.Um abraço para ti e para o teu gajo, o Rogério. Fafe

Anónimo disse...

Gosto imenso do teu sait.
Parabens, está bem conseguido.
Já ri e chorei frente ao monitor.
Tem sido a minha companhia,desde que o encontrei.
O xeca apezar de lhe faltar 11 para 69 ainda mantem a linguagem
que lá tinha, e a boa disposição.
Nem o Espalha Merda " que é meu vizinho cá no Barreiro o conseguio
endireitar.
Vê tu bem as denuncias que te fazem
passados 37 anos. Nem o Nandinho te escapou.
Estive no AB6 de 20/07/68 a 22/08/70, com passagem (6 meses em
Marrupa) fui o Cabo de Rancho em
ambos os lados,lembro-me perfeitamente de ti, e tenho algumas fotos.
Pesquisa " Ventor em Àfrica" vais
encontrar um gájo bestial. Saude!

O Fafe do AB6 disse...

Pois é anónimo, eu gostaria muito de saber com quem estou a dialogar.
Também eu cheguei ao AB6 em 20/07/1968, naquela "caixa de fósforos" com pneus, oriundo da estação de Nampula, lembras-te? Também o Noronha de Material Aéreo chegou no mesmo dia.
Estive sempre em Nova Freixo, exceptuando as viagens com o futebol de salão e as férias de 1969, que gozei em Lourenço Marques e só de lá saí em 11/07/1970.
Também o xeka e o Rogério enfermeiro falam do "Espalha Merda", mas sinceramente não sei de quem falam. Eu prezo muito recordar os meus antigos companheiros e identificarmo-nos é a melhor forma de nos reunirmos em futuro próximo.
Vai ao "Ver meu perfil completo" e através do meu email envia-me a tua fotografia e de outros colegas, se possível identificados.
Um abraço.
Fafe

Anónimo disse...

dssssssss os pretos deveria de morrer por não dacapitar este porco ! sera qu fugiu a nado ou foi metido no porão , para não cheirar mal em africa ..

Anónimo disse...

nem sempre o GATUNO se safa mesmo tendo bons aliados na justiça e nos papagaios que grunhem a volta da merdia do jornalismo..

Anónimo disse...

Apito Final: FC Porto recorre para o Conselho de Justiça de "nega" da Liga
O FC Porto anunciou que interpôs um recurso para o Conselho de Justiça (CJ) da Federação Portuguesa de Futebol (FPF), depois de o plenário da Comissão Disciplinar da Liga de clubes ter indeferido uma reclamação dos "dragões